No Banner to display

Home / Geral / Moradores de Viana protestam na BR-101 por causa de alagamentos

Moradores de Viana protestam na BR-101 por causa de alagamentos

Manifestantes chegaram a fechar completamente a rodovia, por volta das 6h. Quase duas horas depois, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) liberou a pista e o protesto foi encerrado.

Moradores da comunidade de Seringal, em Viana, no Espírito Santo, fecharam um trecho da BR-101, em Viana, em um protesto na manhã desta sexta-feira (15). Eles reclamam dos alagamentos no bairro após as fortes chuvas que atingiram o estado

Os manifestantes fecharam o km 312 da BR-101 por quase duas horas. Uma equipe da Polícia Rodoviária Federal (PRF) esteve no local e negociou a liberação com os moradores.

Os moradores afirmam que os alagamentos foram causados por uma obra da Eco101, concessionária que administra a via. Eles contaram ainda que as casas estão alagadas.

O combinado com a PRF após o protesto foi de que uma máquina da concessionária iria liberar a água represada na comunidade. Mas, antes que a Eco101 chegasse, a Prefeitura de Viana enviou uma equipe ao local e os trabalhos começaram.

“Foi feito o fechamento de uma vala que existia há mais de 50 anos. Quando vieram duplicando a pista, fecharam a vala. Pedimos para fazer a vala de novo, mas não tomaram providência nenhuma. A gente que é morador conhece o local”, disse uma moradora.

Eco101

A concessionária disse, em nota, que está aberta ao diálogo, mas que manifestações não podem prejudicar a circulação de veículos na rodovia.

“Para atender as demandas dos usuários da rodovia, mantém relacionamento com as comunidades e também oferece o serviço 0800 por meio do telefone 0800-770-1101, além do Centro de Controle Operacional, que monitora a rodovia 24 horas, todos os dias”, completou a nota.

Você pode Gostar de:

Número de mortes por covid-19 chega a 2.347, aumento de 206 óbitos em 24 horas

Em um único dia foram 2.917 novos registros de pessoas contaminadas com a doença O …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *