No Banner to display

Home / Noticias do Mundo / Homem fica um mês preso em toca de urso: ‘Me guardou como comida’

Homem fica um mês preso em toca de urso: ‘Me guardou como comida’

Identificado apenas como Alexander, o rapaz foi encontrado em estado grave por um grupo de caçadores, na região de Tuva, na Rússia


Um homem sobreviveu após passar um mês preso dentro de uma toca de urso, na região de Tuva, na Rússia. O rapaz, identificado apenas como Alexander, teve a coluna fraturada durante o ataque e não conseguiu fugir. Ele então foi arrastado pelo animal para uma caverna e guardado como reserva alimentícia para o futuro.

Segundo informações do jornal russo The Siberian Times, o homem só foi encontrado graças aos cães de um grupo de caçadores que passavam pela região.

O grupo acreditava que havia encontrado uma “múmia humana”, graças ao estado avançado de decomposição do corpo. Mas ao se aproximarem, perceberam que o homem estava vivo.


Levado ao hospital, Alexander, ainda com dificuldade, relatou o inacreditável incidente para os médicos. “O urso me guardou como comida para o futuro”, contou.

Ele também explicou que não se alimentou durante o período e se hidratou bebendo a própria urina.

Os médicos identificaram ferimentos graves e tecido necrosado em várias partes de pele do homem. Eles também afirmaram não saber como o homem sobreviveu tanto tempo nessas condições.

Os usos pardos podem atingir 2,40 metros de altura ao erguerem as patas. Uma macho adulto pode chegar a 300 kg enquanto as fêmeas podem chegar a 250 kg.

Segundo o pesquisador da Academia Russa de Ciências, Ivan V. Seryodkin, essa espécie costuma esperar semanas para devorar suas presas. A estratégia é utilizada não só para escondê-la de outros possíveis predadores, mas também porque os ursos preferem comer a carne decomposta.

Você pode Gostar de:

Homem retira tumor cerebral de 11 kg, considerado o maior da história

Caso ocorreu na Índia e envolveu 10 horas de cirurgia; massa começou a impedir homem …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *