Home / Política / Eleitores de quatro cidades do Estado terão que fazer recadastramento biométrico

Eleitores de quatro cidades do Estado terão que fazer recadastramento biométrico

Datas foram definidas pelo Tribunal Regional Eleitoral nesta semana


Em sessão plenária do Tribunal Regional Eleitoral do Espírito Santo (TRE-ES), realizada na última segunda-feira (26), foi aprovada por unanimidade a resolução com as datas de início do recadastramento biométrico dos eleitores de Colatina, Cachoeiro de Itapemirim, Piúma e Marataízes.

O recadastramento biométrico obrigatório em Colatina terá início no dia 11 de setembro; em Cachoeiro de Itapemirim começará no dia 18 de setembro; em Piúma o dia escolhido para começar foi 09 de outubro; e 23 de outubro é a data inicial em Marataízes. Os eleitores dessas cidades deverão comparecer às unidades da Justiça Eleitoral (em cada município) portando documento oficial com foto, título de eleitor (se tiver) e comprovante de residência recente para fazer a biometria.

Importante ressaltar que os eleitores que já possuírem o título de eleitor, do respectivo município, do qual conste a expressão “Identificação Biométrica”, no canto superior direito, não precisarão comparecer à convocação.

O objetivo do cadastramento é tornar ainda mais segura a identificação do eleitor na hora do voto, ao impedir qualquer possibilidade de fraude. Mesmo quem não é obrigado a votar – pessoas com mais de 70 anos de idade, analfabetos e maiores de 16 e menores de 18 anos – deve fazer o cadastramento caso deseje votar nas próximas eleições. O eleitor que não se apresentar terá o título cancelado. Além disso, não votar nem justificar ausência pode resultar em uma série de restrições, como a impossibilidade de obter a certidão de quitação eleitoral, renovar passaporte e tomar posse em cargo público.

No Espírito Santo, 1.332.404 dos eleitores (48,36%) já fizeram o recadastramento biométrico. 38 municípios do Estado foram revisados em sua totalidade.

O que é a biometria?

A biometria é uma tecnologia empregada pela Justiça Eleitoral que permite identificar o cidadão, de modo seguro e eficaz, por meio das impressões digitais, da fotografia e de sua assinatura. No momento da votação, o reconhecimento das digitais ocorre por meio de leitor biométrico acoplado ao terminal do mesário. As digitais são únicas em cada indivíduo, o que oferece a garantia de que quem está votando é realmente o titular do voto. Assim, a biometria dá ainda mais segurança à eleição.

Você pode Gostar de:

Justiça eleitoral condena Haddad por caixa 2 em 2012; petista pode recorrer

O ex-prefeito foi denunciado por suposto caixa dois de R$ 2,6 milhões da UTC Engenharia. …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *