No Banner to display

Home / Noticias / Bairros que “elegeram” prefeitos avaliam ações

Bairros que “elegeram” prefeitos avaliam ações

Há exatos 329 dias, os prefeitos de Cariacica, Serra, Vila Velha e Vitória assumiam os mandatos para administrar seus municípios. Fomos às ruas de bairros onde os gestores receberam mais e menos votos para saber como está e o que mudou na vida dos moradores depois de quase um ano de gestão.

Reeleito em segundo turno, Luciano Rezende (PPS) foi o candidato mais votado nos bairros populosos. Em Jardim Camburi, maior colégio eleitoral de Vitória, o prefeito foi escolhido por 16.654 eleitores. O pior resultado foi na Vila Rubim.

Moradora de Jardim Camburi, a estudante Letícia Alves Pereira, 21 anos, fez elogios à iluminação e à limpeza pública, mas considerou o posto de saúde do bairro como problemático. “A infraestrutura não acompanhou o crescimento populacional do bairro”.

Garis varrem as ruas de Cariacica-Sede. Para moradores, serviço de limpeza pública na região teve avanços. Foi láque, em 2016, Juninho (PPS) teve sua melhor votação
Garis varrem as ruas de Cariacica-Sede. Para moradores, serviço de limpeza pública na região teve avanços. Foi láque, em 2016, Juninho (PPS) teve sua melhor votação
Foto: Luiza Marcondes

Em Vila Velha, Max Filho (PSDB) foi eleito pela terceira vez para administrar o município. A votação mais expressiva do tucano foi em Coqueiral de Itaparica, com 8.949 votos. O menor resultado foi em Santa Paula, na Grande Terra Vermelha: 41 votos.

Desde que Max assumiu a administração, as moradoras de Coqueiral Rafaela Souza, 26 anos, e Maria Lúcia Fonseca, 65, acreditam que houve melhorias no bairro. Quem não concorda com isso é o aposentado José Elcio, 57 anos. Eleitor do ex-prefeito Neucimar Fraga (PSD) em 2016, ele acredita que é necessário melhorar o trânsito com construção de quebra-molas e sincronizar semáforos.

No município de Cariacica, Juninho (PPS) foi reeleito com 52,51% dos votos válidos. Cariacica-Sede foi responsável pela votação mais expressiva, com 4.700 votos. O pior resultado foi na zona eleitoral de Tucum, com 28 votos.

Morador de Cariacica Sede, Tiago Pereira, de 33 anos, declarou que a gestão fez melhorias na praça central, aumentando a iluminação e a limpeza do entorno. “A praça central melhorou, mas a outra, em que eles cortaram as árvores, está abandonada”. A moradora Mariângela Rocha, 27 anos, vê a saúde como ponto sensível: “Os moradores estão tendo que madrugar na fila para agendar consultas”.

SERRA

A zona eleitoral do balneário de Jacaraípe, na Serra, foi responsável pelo maior número de votos ao prefeito reeleito Audifax Barcelos (Rede), com 11.081 votos. A menor votação foi no distrito de Queimado – 5 votos.

A estrutura turística de lá é motivo de reclamação dos moradores de Jacaraípe. O ambulante Wilson Monteiro, 48, aguarda a conclusão da reforma da orla. “Falta banheiro, duchas e a conclusão do calçamento do rio, o que acaba prejudicando o comércio local. O bairro tem condição de se tornar uma potência no turismo. Espero que o prefeito não deixe chegar até 2018 sem concluir a reforma da Orla de Jacaraípe”, aponta.

A moradora Ingrid Santos também cobrou melhorias no bairro. “A ponte de pedestres está enferrujada e interditada”, afirmou.

Na Vila Rubim, população à espera de serviços

Histórico bairro de comércio da Capital, a Vila Rubim foi a zona eleitoral que registrou a votação mais baixa ao prefeito Luciano Rezende (PPS), com 241 votos, no ano passado.

O mato que cresce nas calçadas, a falta de limpeza das ruas e a iluminação “antiga” (com luz amarela) foram pontos problemáticos levantados por moradores do bairro ouvidos pela reportagem.

“Nós sentimos que o bairro está abandonado. Não tem limpeza pública e nem serviço de capina. A prefeitura trocou as lâmpadas da Rua São João, mas é importante trocar das outras ruas para a nossa segurança”, reclama Iracema Melo, de 55 anos.

Os problemas na Vila Rubim também foram pontuados pelo portuário Sérgio Monteiro, 48 anos. Morador do bairro há 10 anos, ele conta que o último serviço de capina foi feito há sete meses.

Dono de um comércio de 37 anos na região, Danilo Alpino Júnior acredita que a Prefeitura de Vitória deveria colocar em prática o projeto de revitalização da área.

“As entradas e saídas poderiam ser mais fáceis. A manutenção das ruas é razoável, pintura das faixas e do meio fio já deixaria o bairro mais atraente. A gente sempre pede, mas cansa pedir”, lamentou.

 

 

Resultado nas urnas não é garantia de obra

As prefeituras da Grande Vitória não veem relação entre o número de votos e o investimento que é feito nos bairros. Cariacica, Serra, Vitória e Vila Velha alegaram que adotam medidas como o orçamento participativo para definir o destino da arrecadação municipal, atendendo de acordo com laudos técnicos e áreas prioritárias.

Apesar das ponderações das administrações municipais, o município de Vitória, em 2017, realizou 212 serviços de manutenção em Jardim Camburi, como a ampliação do serviço de limpeza urbana e implantou o agendamento online na Unidade de Saúde. Já na Vila Rubim, menor em tamanho e população, foram 69 serviços, com a manutenção na rede de drenagem e criação da Rua de lazer na Ponte Seca.

O secretário de Gestão, Planejamento e Comunicação de Vitória, Fabrício Gandini, afirmou que para a decisão sobre onde será investida a verba municipal é tomada de acordo com critérios técnicos e demandas populares.

“Todo semestre nos reunimos com as Associações de Moradores e fazemos o Gabinete Itinerante em cada uma das nove regiões de Vitória. O orçamento é construído depois que escutarmos essas demandas”, explicou Gandini.

No município da Serra, neste ano, foram entregues oito obras, além da melhoria na rede de iluminação na região de Jacaraípe. Já no bairro Queimado existe um projeto para captar recursos para a restauração do centro histórico.

“Nós levamos em consideração o orçamento participativo e a Assembleia Municipal do Orçamento. Cada bairro tem cinco representantes e as demandas são avaliadas tecnicamente pela prefeitura”, esclarece o coordenador de governo, Jolhiomar Massariol. As demandas são passadas para a comissão de avaliação e são atendidas de acordo com a urgência. O número de representantes iguais é independente do número de moradores do bairro.

Em Vila Velha, o bairro Santa Paula, na Grande Terra Vermelha, está recebendo intervenções de nivelamento para retirar ondulações e buracos nas ruas Cajueiro e Jacarenema. Em Coqueiral de Itaparica, a prefeitura declarou que realiza a operação tapa-buraco, revitalização das faixas de pedestres e a modernização dos semáforos de alguns cruzamentos do bairro.

O assessor de governo de Vila Velha, Luciano Machado, explica que o cronograma de atendimento aos bairros é baseado orçamento participativo. Para aumentar o diálogo com a população, a prefeitura tem um coordenador em cada uma das cinco regionais: “A prefeitura atende o que foi priorizado pelos moradores. Não podemos usar o número de votos para critério de investimento, porque o que atinge a população, atinge diretamente o prefeito”.

Em Cariacica, no primeiro semestre de 2017, não foram realizadas obras em Cariacica Sede e Tucum. A prefeitura informou que os investimentos em obras são feitos em regiões da cidade com necessidades urgentes de infraestrutura.

Você pode Gostar de:

Suspeito de matar homem encontrado em porta-malas de carro é preso

Crime aconteceu no dia 14 de agosto. No dia 17, o corpo foi encontrado dentro …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *