Home / Noticias / A Black Friday chegou! Chegou?

A Black Friday chegou! Chegou?

Muitos capixabas já adotaram o termo em inglês e consideram a Black Friday uma sexta-feira “massa”, que “póca” de oportunidades pra comprar coisas pessoais, para a casa ou até a própria residência, isso sem falar dos enfeites e presentes de Natal. Os descontos são mesmo tentadores podendo chagar a 70%.
“A Black Friday surgiu nos Estados Unidos como data de inauguração da temporada de compras natalícias. Praticada no Brasil desde 2010, já é aguardada pelos consumidores todo ano. A Dadalto sempre participou da Black Friday e oferecerá descontos em todas as suas linhas de produtos, levando para os capixabas excelentes condições de pagamento. A hora de comprar coisas para a casa é agora!”, garante o gerente de vendas da rede Luciano Sabatini.
Para se ter uma ideia do quanto essa economia pode representar, se hoje o consumidor fosse a uma das lojas da Dadalto para comprar enfeites natalinos, gastaria em uma árvore de natal de 1,20m, com 18 bolas, um pisca com 100 lâmpadas, seis pombinhas e uma guirlanda, gastaria R$ 96,00. Mas nesta sexta, esse valor cai para R$ 36,00. As lojas ainda oferecem parcelamento em até 12 vezes sem juros em todos os cartões. E os preços são válidos para esta sexta feira (24) e também para o sábado (25).
Divulgação
Divulgação
Patricia Vieira

A empresária Patrícia Parcel está entre os consumidores que esperou a data. “O ar condicionado do quarto quebrou, então conferimos os preços antes e preferimos esperar a Black Friday para ver se surgirá alguma promoção válida”, contou.

A expectativa da Fecomércio é de neste final de ano, o varejo consiga “respirar”. “O capixaba está com sede de consumo, após quase três anos de recessão. Tanto a Black Friday quanto as ofertas de Natal deverão atrair compradores”, afirmou o diretor da Federação, José Carlos Bergamin, há duas semanas.
Divulgação
Divulgação
Apartamento de R$ 327 mil sendo vendido por R$ 255 mil na Black Friday

As promoções vão muito além das lojas, se estendem pro mercado hoteleiro, com quase 100% dos hotéis, resorts e pousadas oferecendo descontos nas diárias no Estado e em todo o país. E o sonho da casa própria ganhou um incentivo considerável. Em um novo investimento na Praia de Itaparica, por exemplo, um apartamento de 60 m2, com dois quartos, que vinha sendo anunciado por R$ 327 mil pode ser comprado nesta sexta por R$ 255 mil.

“A Black Friday chegou na Lorenge para aguçar cada vez mais o desejo de compra do consumidor. O momento é ideal para se investir na compra de um imóvel, pois como aquecimento do mercado, os imóveis estão no limite da baixa. É comprar agora ou não encontrará pelo mesmo preço”, avalia Erik Lorenzon, diretor de marketing da Lorenge.
Segundo ele, a tendência de valorização média na Grande Vitória para imóveis residenciais é de 20% nos próximos dois anos. Imóveis comerciais podem experimentar valorização ainda maior, pois foram os que mais sofreram pressão de baixa durante a crise.
Divulgação
Divulgação
O casal Nina e Jorge Moysés prefere esperar uma proximidade maior com o Natal para comprar.

Mas mesmo diante das milhares de ofertas e de descontos que parecem imperdíveis, há quem não caia na tentação da Black Friday. “Apesar de todo esse marketing em torno da data, já não acredito mais no “desconto” do que chamamos de “black Fraude”. Na verdade, acredito que esse lançamento estratégico se dê por conta da primeira parcela do 13º salário. Hoje eu e meu marido preferimos esperar passar essa fase é realmente comprar com os descontos reais conforme a negociações.Depois os valores até mesmo diminuem”, argumenta a assessora Política Nina Moysés.

Cuidados
Divulgação
Divulgação
Felipe Morais Matta, advogado

Os preços são mesmo tentadores, mas existem cuidados básicos que não podem deixar de ser adotados, alerta o advogado Felipe Moraes Matta, membro da Comissão de Direito do Consumidor da OAB-ES.

“O primeiro passo, antes mesmo de realizar qualquer aquisição, é ter a consciência de que você está realizando uma compra de um produto que é necessário e não simplesmente pelo motivo de ser ‘Black Friday’, para que se evite aquisições desnecessárias e endividamento inoportuno”, destaca.
Há cuidados básicos que podem evitar uma compra fraudulenta e possíveis prejuízos, especialmente nas lojas virtuais.
Os 5 cuidados básicos para comprar: 
1- A indicação é que as compras sejam realizadas em sites de grandes empresas que possuem notória confiabilidade, pois qualquer problema que demande solução há a quem recorrer. No site verifique se há informações referentes à loja, normalmente no final da página há informações de localização, telefones e CNPJ, essas informações podem ser valiosas.
2-Evite realizar aquisição por meio de ofertas que chegam em e-mails, pois não raramente o link contido ali corresponde a um site falso que é idêntico ao verdadeiro.
3-Pesquise o produto desejado em outras lojas para saber se o valor realmente é promocional, há sites especializados nesse tipo de busca, eu particularmente utilizo muito o Buscapé. Em caso de oferta miraculosa, cujo valor possua uma discrepância muito grande em relação a todas as outras lojas suspeite da oferta.
4-Recentemente diversos órgãos de defesa do consumidor divulgaram listas com vários sites que devem ser evitados quando forem realizar qualquer tipo de compra, confira se a loja não figura nessa lista.
5-As compras on-line devem ser realizadas sempre através de um ambiente seguro, logo não realize compras utilizando computadores compartilhados ou wi-fi estranhos, pois podem armazenas todas as informações que estão sendo transmitidas. Visando essa segurança, também é importante manter seu computador atualizado com os mecanismos de defesa (antivírus, antispyware) para evitar a divulgação de seus dados quando do preenchimento de qualquer cadastro.
“Após todas essas etapas, e estando certo do que vai comprar e em qual site, é importante imprimir ou salvar de alguma forma todas as telas informativas, seja a referente às especificações do produto, valor, forma de pagamento e tudo mais que for importante para que não ocorra qualquer alteração e você como consumidor não tenha como realizar a prova do que efetivamente foi comprado e o valor atribuído ao produto”, aponta Matta.

Você pode Gostar de:

Irmão de deputada é exonerado de cargo

A fraude é estimada em mais de R$ 100 milhões, com a identificação de falsificação …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *